Pages

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Gosto doce de vida

Caramelo bala doce

Meu gosto de infância

Na boca o doce tinha gosto felicidade

Acelerava o coração estendendo a mão pra comprarimage

Dona Francinete saudosa a perguntar:

- Queres quantos meu filho? Quantos vai levar?

Do outro lado das bombonieres eu gesticulava vergonhoso sem falar

Numa mão dois caramelos e um sorriso generoso

Na outra, timidamente estendia o dinheiro pra pagar

Momentaneamente entristecia o coração,

Lá se vão minhas moedas!

Recomeçar uma esperança,

                                        (renovar minhas esperanças tantas vezes).

Caramelo bala doce

Sem moedas, sem caramelos

Dinheiro mirrado, infantil

Centenas de vezes contado

Perdia por vezes o gosto doce

Esquecendo moedas a tintilar escorrendo distraidamente pelo furo do bolso

Lá ficavam perdidas,

Talvez um caramelo a menos, e um sonho a mais

                                                                                                (meus sonhos infinitamente doces).

Caramelo bala doce

A inocência me permitia

Comprar um caramelo e me sentir o senhor do dia

De toda essa felicidade, conservei o bom coração de guri

Sou menos inocente, mas igualmente aquele menino

Um sonhador, que devido o medo do amargo da vida

Lembra todos os dias o gosto doce do caramelo que outrora na infância sentia .

 

Observando o Tempo

Você vai gostar de ler :

Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget